22 de junho de 2024

BR-277 é um “inferno” para motorista e já deveria ser duplicada, diz Cabo Carlos

BR-277 é um “inferno” para motorista e já deveria ser duplicada, diz Cabo Carlos

Cabo Carlos (PROS), candidato a deputado federal, concedeu entrevista na série 2 em 1, do H2FOZ e Rádio Clube FM 100.9. Ele criticou os concorrentes de fora que “pegam” voto em Foz do Iguaçu, mas não trazem quase nada de benefício. Suas principais pautas, se eleito, serão “arrumar” a BR-277, tirar as favelas da cidade e atrair grandes empresas para gerar empregos.

Ex-boia-fria e filho de barrageiro da Itaipu Binacional, ele é policial militar há 33 anos. Afirmou que se saísse como deputado estadual seria eleito, porém só vai conseguir fazer algo se for deputado federal. Expressou sua preocupação com os policiais e seus salários “miseráveis” e equipamentos inadequados. “É difícil uma semana que um policial não suicide”, lamentou.

Frisou que Foz do Iguaçu não pode depender só do Paraguai, Itaipu, Cataratas do Iguaçu e turismo. Entende que a cidade poderia ser uma das melhores do Brasil. “Vou mudar e fazer uma lei sobre alvarás. Sei que o empresário sofre muito com leis dos bombeiros. Está tudo errado. Precisamos desburocratizar.”

Abrir batalhões não vai resolver a questão de segurança pública, avaliou. “Precisamos aumentar o efetivo. Precisamos de um comandante só. O sistema está errado. Hoje em Foz se você for falar com um comandante você não sabe quem é o comandante. Meu projeto triplica o número de homens na rua. Foz precisa ter patrulha comercial”, destacou.

Confiante em sua eleição, disse que tem votos em todos os 399 municípios do Paraná. Na entrevista, falou de sua atuação em favor do Projeto de Lei n.º 363/2018, que alterou os dispositivos da Lei n.º 5.940/1969, referente à promoção de praças da Polícia Militar do Paraná, o que possibilitou ao policial permanecer na ativa até 35 anos de serviço.

Sobre o quadro eleitoral, contou ser “bolsonarista nato” e acredita que Ratinho Junior (PSD), candidato à reeleição, não tem adversário na disputa.
Cabo Carlos declarou na eleição anterior de R$ 53.900 e, neste pleito, R$ 73.900. “O fundo eleitoral até agora não caiu nada em conta, por causa dessa bagunça nacional no PROS”, realçou em referência à disputa sobre deliberações da sigla. Segundo o candidato, sua campanha depende dos amigos.

Perfil
Sebastião Carlos de Souza, Cabo Carlos (PROS), é formado em Processos Gerenciais e pós-graduado em Segurança Pública. Tem 52 anos, é policial militar há 33 anos, casado, natural de São Miguel do Iguaçu.