18 de junho de 2024

Ministro israelense renuncia com críticas a governo de emergência



O ministro israelense Benny Gantz anunciou sua renúncia do governo de emergência do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu neste domingo (9), retirando o único poder centrista da coalizão de extrema-direita do líder, em meio a uma guerra de meses em Gaza.

Netanyahu emitiu uma breve declaração pedindo a Gantz que não “abandone o front”, mas sua saída não colocará em risco a maioria parlamentar de 64 assentos na assembleia de 120 lugares, mantida pela coalizão de direita no poder.

“Netanyahu está nos impedindo de avançar em direção à verdadeira vitória. É por isso que estamos deixando o governo de emergência hoje, com o coração pesado, mas com total confiança”, disse Gantz em uma coletiva de imprensa televisionada.

A renúncia de Gantz era esperada desde que ele deu ao primeiro-ministro conservador o prazo de 8 de junho para apresentar uma estratégia clara para Gaza, onde Israel vem realizando uma ofensiva militar devastadora contra o grupo militante palestino Hamas, que está no poder.

Sua saída significa que Netanyahu perderá o apoio de um bloco centrista que ajudou a ampliar o apoio ao governo em Israel e no exterior, em um momento de crescente pressão diplomática e doméstica após oito meses de guerra em Gaza.

Originalmente, esperava-se que Gantz anunciasse sua renúncia no sábado, mas ele adiou a declaração após o dramático resgate de quatro reféns das forças israelenses.