22 de fevereiro de 2024

Longevidade feminina e estética íntima

Saúde íntima feminina é um assunto muito importante e que merece atenção e cuidado. Por isso para conversar sobre o assunto, nós convidamos a Dra. Kátia Aparecida Pinto, médica ginecologista
especialista em estética íntima e longevidade feminina, que vai explanar sobre o assunto, no programa Medicina e Saúde deste sábado, dia 19.

A longevidade feminina e a estética íntima são temas que têm ganhado cada vez mais atenção na área da saúde e da beleza. Segundo a entrevistada Dra. Kátia Aparecida Pinto, a longevidade feminina se refere ao conjunto de medidas que visam promover a qualidade de vida e o bem-estar das mulheres em todas as fases da vida, especialmente na menopausa, quando ocorrem diversas mudanças hormonais e físicas. A estética íntima se refere aos procedimentos que buscam melhorar a aparência e a funcionalidade da região genital feminina, que pode sofrer alterações devido ao envelhecimento, ao parto, a fatores genéticos ou a doenças.

Existem diversos tratamentos disponíveis para a longevidade feminina e a estética íntima, que podem ser invasivos ou não invasivos, dependendo do objetivo e da necessidade de cada mulher. Alguns exemplos são: Reposição hormonal: consiste na administração de hormônios sintéticos ou bioidênticos para aliviar os sintomas da menopausa, como fogachos, insônia, secura vaginal, perda de libido, entre outros. A reposição hormonal pode ser feita por meio de comprimidos, adesivos, géis, implantes subcutâneos ou anéis vaginais.

Laser íntimo: é um tratamento que utiliza um aparelho de laser para estimular a produção de colágeno e elastina na mucosa vaginal, melhorando a lubrificação, a elasticidade e a sensibilidade da região. O laser íntimo também pode ajudar a clarear manchas escuras na vulva e a reduzir a flacidez dos lábios vaginais.

Cirurgia íntima: é um procedimento cirúrgico que visa corrigir alguma alteração estética ou funcional na região genital feminina, como hipertrofia dos pequenos lábios, assimetria labial, excesso de pele no capuz do clitóris, frouxidão vaginal ou aumento do monte de Vênus. A cirurgia íntima pode ser feita com anestesia local ou geral, dependendo da complexidade do caso.

Preenchimento íntimo: é uma técnica que utiliza substâncias biocompatíveis, como ácido hialurônico ou gordura autóloga, para aumentar e reconstruir os lábios vaginais. O preenchimento íntimo pode corrigir problemas como deformidades e a redução do tônus muscular gerada pelo envelhecimento. O preenchimento íntimo é feito com anestesia local e tem duração variável, dependendo do material utilizado.

Cadeira Emsella: é um equipamento que emite ondas eletromagnéticas que contraem os músculos do assoalho pélvico, fortalecendo-os e melhorando a sustentação dos órgãos internos. A cadeira Emsella pode ajudar a tratar a incontinência urinária, o prolapso genital e a disfunção sexual feminina. O tratamento é não invasivo e indolor, bastando sentar-se na cadeira por cerca de 30 minutos por sessão.

Radiofrequência íntima: é um tratamento que utiliza um aparelho de radiofrequência para aquecer os tecidos da região genital feminina, estimulando a produção de colágeno e elastina e melhorando a firmeza e a elasticidade da pele. A radiofrequência íntima também pode ajudar a clarear manchas escuras na vulva e a reduzir o volume dos lábios vaginais. O tratamento é não invasivo e indolor, podendo ser feito em consultório com anestesia tópica.
Esses são alguns dos tratamentos mais comuns para a longevidade feminina e a estética íntima.

No entanto, antes de optar por qualquer um deles, é importante consultar um médico especializado para avaliar as indicações, as contraindicações, os riscos e os benefícios de cada procedimento. Além disso, é fundamental ter uma boa higiene íntima, uma alimentação equilibrada, uma rotina de exercícios físicos e uma vida sexual saudável para manter a saúde e a beleza da região genital feminina.

Acompanhe a entrevista: