18 de maio de 2024

Vereadores recuam e apenas quatro devem lançar as candidaturas

Eleições 2022

Vários vereadores de Foz do Iguaçu resolveram recuar da possibilidade de disputar vaga para deputado nas eleições de 2 de outubro. Os motivos são diversos, porém os nomes da base negam pressão do Governo Chico Brasileiro para deixar caminho livre para Rosa Jerônymo, primeira-dama e pré-candidata a deputada estadual pelo MDB. Apenas quatro mantêm pré-candidaturas: Rogério Quadros, do PTB, a estadual; Admilson Galhardo, do Republicanos, a estadual; João Morales, do União Brasil, a federal; e Protetora Carol Dedonatti, do PP, a federal.


Dentre os que recuaram e são da base do Governo está o presidente da Câmara, Ney Patrício (PSD) que foi secretário municipal na primeira gestão do prefeito. Nesta terça-feira, 12, ele evitou maiores comentários, mas ainda no mês de maio, já havia anunciado que momentaneamente recuava da pré-candidatura em razão de um problema de saúde na família. Mantendo-se esse panorama, restará a Ney Patrício tentar se viabilizar como opção do governo para a eleição a prefeito em 2024.


Outro da base, cogitado para pré-candidatura a deputado estadual, é o líder do prefeito na Câmara, Kalito Stoeckl, também do PSD, partido do prefeito. “Realmente não vou mais sair candidato, mas a decisão não tem nenhuma relação com a pré-candidata do MDB. Tínhamos algumas pesquisas mostrando que diante do cenário seria um esforço muito grande para viabilizar a minha candidatura. Para não dividir votos e atrapalhar outros candidatos, nosso grupo decidiu por eu não concorrer”, explicou.


O vereador Jairo Cardoso (União Brasil), também integrante da base do prefeito, foi outro que descartou qualquer disputa. Apesar de correligionários e apoiadores cogitarem a possibilidade, Jairo afirmou que nunca oficializou pré-candidatura. Disse que pretende fazer o trabalho nesse primeiro mandato de vereador e depois analisar o futuro. Quanto à possibilidade de apoiar a pré-candidata a estadual, anunciada pelo grupo de situação, Jairo respondeu: “Ela (Rosa Jerônymo) tem a simpatia do nosso grupo”.

Anice também não será candidata
Outra da base, vereadora Anice Gazzaoui, do PL, atualmente no terceiro mandato consecutivo e de quem se esperava uma pré-candidatura a deputada estadual, também não será candidata. “Pessoalmente nunca disse nem tive a intenção de disputar as eleições deste ano. Como estou na coordenação da pré-campanha do deputado Giacobo (a federal) e sou a presidente do partido, decidimos que eu não sairia candidata”, afirmou.


Questionada se a postura estaria relacionada a unir forças em torno da pré-candidata do governo e da possível dobradinha de Rosa Jerônymo com Giacobo, a vereadora descartou. “Não há nenhuma relação com isso. Foi uma decisão minha não sair candidata esse ano”, encerrou.


O vereador Alex Mayer (PP), da base, chegou a ter o nome cogitado para uma pré-candidatura, mas já informou que não será candidato. Alex não respondeu a reportagem sobre a possibilidade de apoiar uma candidatura a estadual ligada ao grupo do prefeito, do qual ele faz parte.

Yasmin Hachem confirma desistência 
A vereadora Yasmin Hachem (MDB) havia admitido a possibilidade de se candidatar a deputada federal, porém recuou. “Fizemos uma avaliação com o nosso núcleo de apoio e chegamos a conclusão de que devemos tocar nosso mandato, cumprir naquilo que os eleitores confiaram e assim vamos construindo para ao final dessa etapa analisarmos a viabilidade de reeleição”, justificou Yasmin.  


Dos vereadores que votam com a base, Rogério Quadros (PTB), João Morales (União Brasil) e Protetora Carol Dedonatti (PP) mantêm as pré-candidaturas. Quadros pretende disputar as eleições para deputado estadual – Morales e Dedonatti a federal. Dos demais integrantes da bancada governista, Valdir de Souza Maninho (PSC), Adnan El Sayed (PSD), Edivaldo Alcântara (PTB) e Dr Freitas (PSD) desde o início vem dizendo que não vão disputar as eleições deste ano e devem apoiar outros nomes.

Oposição 
Na oposição declarada ao Governo tem apenas dois vereadores: Cabo Cassol (Podemos) e Admilson Galhardo (Republicanos). Destes, só Galhardo se anuncia como pré-candidato, ainda assim enfrentando resistência interna de Sidney Prestes, que foi candidato a prefeito pelo partido. Quanto ao Cabo Cassol, a tendência é de que venha a apoiar outros nomes.


A definição das candidaturas ocorrerá entre 20 de julho a 5 de agosto, período de realização das convenções partidárias. Até o momento são aproximadamente 15 pré-candidatos declarados a deputado estadual e 7 a federal por Foz do Iguaçu.
 

Elson Marques –  EMS Editores