16 de julho de 2024

Uefa investiga gesto racista feito por jogador turco na Eurocopa



A Uefa, órgão dirigente do futebol europeu, abriu uma investigação na quarta-feira (3) sobre a comemoração de um gol com a “saudação ao lobo” feita pelo zagueiro turco Merih Demiral que a Alemanha condenou como racista por suas associações de extrema-direita, provocando uma repreensão de Ancara.

O zagueiro de 26 anos imitou o formato da cabeça de um lobo com os dedos após seu segundo gol na vitória da Turquia por 2 a 1 sobre a Áustria nas oitavas de final da Euro 2024.

O gesto está ligado aos “Lobos Cinzentos”, uma ala ultranacionalista do Partido de Ação Nacionalista (MHP), um aliado do partido AK, do presidente Tayyip Erdogan.

“Os símbolos dos extremistas de direita turcos não têm lugar em nossos estádios”, disse a ministra do Interior da Alemanha, Nancy Faeser, em um post no X. “Usar o Campeonato Europeu de Futebol como uma plataforma para o racismo é completamente inaceitável.”

Criados na década de 1960, os “Lobos Cinzentos” estavam envolvidos em violência política entre esquerdistas e nacionalistas que matou cerca de 5.000 pessoas na época do golpe de 1980.

O grupo é proibido na França e seu símbolo é proibido na Áustria. Os “Lobos Cinzentos” também estão sob vigilância na Alemanha, acrescentou Faeser.

A Uefa disse que examinaria “o suposto comportamento inadequado” de Demiral.

A entidade vem reprimindo a má conduta durante o torneio, banindo Mirlind Daku, da Albânia, por dois jogos depois que ele liderou os torcedores em cânticos ofensivos e investigando Jude Bellingham, da Inglaterra, por um gesto de agarrar as virilhas.

O Ministério das Relações Exteriores da Turquia disse que a investigação da Uefa era inaceitável e que a abordagem das autoridades alemãs a Demiral “envolvia xenofobia”.

“Condenamos as reações politicamente motivadas ao uso de um símbolo histórico e cultural, de uma forma que não atinge ninguém, durante as celebrações de alegria em um evento esportivo”, afirmou.

O ministério também convocou o embaixador da Alemanha em Ancara por causa da polêmica, disse uma fonte diplomática turca.

Entusiasmado com seu desempenho de melhor em campo, Demiral disse aos repórteres que havia planejado o gesto.

“Eu tinha uma comemoração em mente sobre ser turco. Eu fiz isso [gesto]. Tenho muito orgulho de ser turco, senti isso até os ossos depois de marcar o gol, por isso quis fazer algo assim”, declarou ele depois da partida. “Estou muito feliz por ter feito isso, todos os torcedores estão orgulhosos de nós. Eu vi pessoas na arquibancada fazendo isso.”

A Sociedade Israelense Alemã, que descreveu os “Lobos Cinzentos” como uma ameaça aos judeus, bem como aos armênios, gregos e curdos, pediu às autoridades alemãs que banissem o grupo.

* Reportagem em parceria com Andrew Cawthorne, Rachel More, Ezgi Erkoyun, Daren Butler e Tuvan Gumrukcu

** É proibida a reprodução deste conteúdo.