19 de julho de 2024

Trevo de acesso à Argentina e as Cataratas do Iguaçu tem alteração

 trevo de acesso à Argentina e as Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, terá alteração no trânsito a partir da terça-feira (21), conforme o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR).

Algumas adaptações, no entanto, já estão sendo feitas nesta sexta-feira (17), o que exige atenção redobrada dos motoristas que passam pelo local.

Os desvios, segundo o DER, são necessários para garantir o prosseguimento dos serviços do novo viaduto no entroncamento entre a Rodovia das Cataratas e a Avenida Mercosul, que faz parte da obra de implantação da nova rodovia de acesso à Ponte da Integração Brasil-Paraguai.

O que muda:

  • Motoristas que vêm da Avenida das Cataratas com sentido ao aeroporto devem cotonar o trevo e seguir em frente. 
  • Motoristas que vêm da Avenida das Cataratas com sentido à Argentina, devem pegar a direita no trevo e seguir pela Avenida Mercosul.Motoristas que vêm do aeroporto no sentido ao centro de Foz do Iguaçu, devem seguir pela Avenida das Cataratas, passando pelo novo desvio do trevo.
  • Motoristas que vêm do aeroporto com sentido à Argentina, será preciso seguir pela Avenida das Caratas até a rotatória do shopping Catuaí e fazer o retorno para depois seguir pela direita no trevo.
  • Motoristas que vêm da Argentina, com sentido à Foz do Iguaçu, devem seguir pela direita no trevo e fazer o retorno e voltando pela Avenida das Cataratas, no novo desvio do trevo. 

Perimetral leste

A Perimetral Leste fará a ligação entre a nova ponte entre Brasil e Paraguai, a Ponte da Integração e a rodovia BR-277.

A perimetral terá 15 quilômetros de extensão e tem por objetivo solucionar o problema logístico do trecho, marcado pelo trânsito intenso de caminhões, que serão direcionados para a nova ponte.

Conforme a Itaipu, a construção que começou em março de 2021, tem previsão de ser entregue até o final de 2022.

Para a perimetral, a usina informou que o investimento é de mais de R$ 140 milhões.

G1