29 de fevereiro de 2024

Trânsito na Rodovia das Cataratas terá alterações após o carnaval em Foz do Iguaçu

Trânsito na Rodovia das Cataratas terá alterações após o carnaval em Foz do Iguaçu

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) informa que, a partir da semana que vem, início de fevereiro, começam os preparativos para implantar os desvios de tráfego na BR-469, em Foz do Iguaçu, região Oeste, da ponte antiga na pista central para a nova ponte sobre o Rio Tamanduá.

O desvio em si deverá ser implementado na segunda quinzena do mês, após o carnaval, mas nos próximos dias os usuários já irão encontrar as mudanças sendo preparadas, a partir do entroncamento da rodovia com a Avenida Maria Bubiak, onde o tráfego da rotatória será direcionado para a nova pista de acesso à ponte.

A medida irá permitir os serviços para implantação da outra estrutura nova da ponte, paralela a esta, e em substituição à antiga. O DER/PR irá informar aos usuários antes da mudança tomar efeito, divulgando juntamente o croqui das alterações de tráfego no trecho.

OBRA – As obras vão desde o portal de entrada do Parque Nacional do Iguaçu até trevo de acesso à Argentina, passando ainda pelo Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, em uma extensão de 8,7 quilômetros.

Está prevista a duplicação da rodovia, sendo duas pistas por sentido, com 3,60 m de largura cada faixa, separadas por barreira de concreto dupla, acostamentos externos com 2,00 m de largura. Já as vias marginais terão uma pista de rolamento com 7,00 m, passeios com 1,60 m e ciclovias bidirecional com 3,00 m ao nível da pista, ou passeios compartilhados com largura média de 3,00 m.

A obra inclui viadutos no km 2+260 (em frente ao Condomínio Ritz Cataratas), km 3+970 (acesso ao bairro Remanso) e km 7+600 (próximo ao Movie Cars), e no acesso ao Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, localizado no km 6+760, além da nova ponte sobre o Rio Tamanduá.

O investimento na Rodovia das Cataratas é de R$ 129 milhões, fruto de uma parceria entre governo estadual, por meio da SEIL, governo federal e a Itaipu Binacional, responsável pelos recursos. O DER/PR ficou encarregado de administrar a execução da obra, que na última medição atingiu a marca de 26,54% de conclusão.