22 de junho de 2024

Sicoob libera mais de R$ 21 bilhões em sete meses de safra

Sicoob libera mais de R$ 21 bilhões em sete meses de safra e amplia participação no mercado

Nos primeiros sete meses do Plano Safra 22/23, o Sicoob, um dos maiores apoiadores da produção agrícola do Brasil, liberou mais de R$ 21 bilhões para produtores rurais, um crescimento de 55% em relação ao mesmo período do ano anterior. Isso representa 8,5 pontos percentuais de market share, frente a 7,6 no mesmo período do ano passado.  

Ponto de atendimento do Sicoob – Foto: Divulgação


A instituição financeira cooperativa que atualmente conta com 7 milhões de cooperados – sendo mais de 440 mil produtores rurais – dispõe de recursos para estruturar, investir, custear e comercializar a produção dos seus cooperados.  
De acordo com o levantamento feito pelo Sicoob, desse volume R$ 19 bilhões são de crédito rural e R$ 1,4 bilhão de CPRF. O ticket médio da instituição na atual safra está em R$ 224.000, levando em conta todos os portes de produtores. Já considerando apenas o Pronaf, o ticket médio é de R$ 69.800. 


Entre os portes de produtores atendidos pelo Sicoob, 19% são respondidos pelo Pronaf (agricultores familiares); 25% pelo Pronamp (médios produtores); e 56% dos demais agricultores respondidos por recursos próprios livres e controlados, BNDES, FCO e Funcafé.  


O levantamento também destaca que na atual safra, 41% das operações foram destinadas às atividades pecuárias, principalmente a bovina de corte e leite. Os 59% restantes correspondem à agricultura, sendo em ordem de volume: café, soja, milho e cana-de-açúcar. 


“Os números são muito positivos e mostram que o Sicoob tem como compromisso apoiar o produtor rural, independente do seu porte. Essa parceria sempre esteve em nosso DNA e, nesta safra, acreditamos que vamos movimentar em torno de R$ 37 bilhões”, afirma Francisco Reposse Junior, diretor Comercial e de Canais do Sicoob. “O agro é de extrema relevância para o crescimento do país e, no que depender do Sicoob, vai continuar desempenhando seu importante resultado no PIB brasileiro”, conclui o executivo.