21 de fevereiro de 2024

Segurança e Educação debatem estratégias de prevenção à violência nas escolas

Principal medida sugerida pelos órgãos de segurança é o combate às fake news; Orientações sobre condutas de segurança também estão sendo repassadas às unidades de ensino.

Segurança e Educação debatem estratégias de prevenção à violência nas escolas

Em reunião extraordinária realizada na Câmara de Vereadores nesta quarta-feira (12), representantes da segurança pública, da educação e vereadores debateram estratégias de prevenção e combate à violência nas escolas. O encontro foi proposto pelo vereador Adnan El Sayed, presidente da Comissão de Turismo, Indústria, Comércio, Assuntos Fronteiriços e Segurança Pública, integrada também pelas vereadoras Protetora Carol e Yasmin Hachem.

Durante a reunião, uma série de sugestões foram apresentadas para melhorar a segurança nas escolas e gerar maior tranquilidade entre a comunidade escolar.

Em comum, todos destacaram o combate às fake news e ao chamado “efeito contágio” como fatores determinantes neste momento para que as unidades de ensino possam manter suas rotinas.

Representando o chefe do executivo, o vice-prefeito Francisco Sampaio ressaltou a importância de evitar a propagação de notícias que possam estimular atos perigosos. “Nossas forças de segurança têm feito um trabalho muito importante no patrulhamento e monitoramento das escolas, mas precisamos principalmente evitar que notícias falsas se espalhem para que a comunidade se acalme. Precisamos também da maior atenção dos pais, na conversa diária com seus filhos”, disse.

O combate às notícias e informações falsas também foi reforçado pelo delegado da Polícia Civil, Rodrigo Souza, responsável pela Delegacia do Adolescente. “Alguém que está com mau pensamento cria a idéia de praticar algo a partir da divulgação dessas informações. É o que chamamos de efeito contágio, algo que precisa ser evitado”, destacou.

Ações em andamento

As ações já realizadas pelo município foram pontuadas pelo secretário de segurança pública, tenente-coronel Marcos Antônio Jahnke. “Reforçamos as rondas e o patrulhamento nas escolas e Cmeis e estudaremos a possibilidade de ampliação do efetivo nas ruas”, afirmou. A Polícia Militar também reforçou a atuação da Patrulha Escolar nos colégios e universidades. A Polícia Militar também intensificou o patrumentos nas escolas estaduais.

Orientações às escolas

A Guarda Municipal elaborou uma cartilha com orientações sobre as condutas de segurança nas escolas, material que será distribuído a todas as unidades de ensino de Foz do Iguaçu. Nesse material constam informações sobre o combate às fake news e os números de atendimento para situações de emergência: 153 da Guarda Municipal, 190 da Polícia Militar, 193 do Corpo de Bombeiros e 192 do SAMU.

A secretária da educação, Maria Justina da Silva, informou que o controle de acesso às escolas e Cmeis já foi reforçado e que o patrulhamento da Guarda Municipal tem contribuído com a segurança de alunos e professores e a tranquilidade dos pais. “Sabemos que uma série de medidas estão sendo tomadas pelos órgãos de segurança, mas o que precisamos também é acalmar a população. A parceria com as famílias é essencial para que não haja pânico e as escolas possam manter suas rotinas com os alunos”, acrescentou.

A reunião contou também com a presença dos vereadores da Casa de Leis, representantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Núcleo Regional de Educação, Sinprefi, Conselho de Segurança Municipal e demais autoridades.

Saiba como combater as fake news:

1. Verifique se as fontes são confiáveis, identificando quem são os produtores de conteúdo;

2. Observe se a informação está completa ou se ela não é um fragmento de uma peça maior ou um vídeo ou áudio cortado;

3. Faça uma busca nas redes sociais para checar se tem mais alguém falando sobre o assunto;

4. Pesquise o assunto ou dados relacionados em fontes confiáveis, meios de comunicação conhecidos ou veículos oficiais;

5. Recorra às agências de checagem.

6. Antes de difundir uma mensagem, pense no efeito “contágio”. Pense antes de alarmar sem necessidade.

 

Foto: Christian Rizzi/Câmara Municipal.