19 de julho de 2024

Secretaria de Meio Ambiente realiza audiência pública

Secretaria de Meio Ambiente realiza audiência pública nesta sexta-feira (13)

A Prefeitura de Foz do Iguaçu promove, na próxima sexta-feira (13), às 18h, uma audiência pública para discutir propostas de criação de Unidades de Conservação em áreas públicas pertencentes ao município.

É o caso, por exemplo, do Bosque dos Macacos, no Jardim Ipê; do Bosque Guarani, no Centro da cidade; e da Trilha do Vietnã, na Vila A. O evento é organizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e será no Centro de Educação Ambiental do Iguaçu (CEAI), anexo ao Bosque Guarani. 

Conforme o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), uma unidade de conservação é um “espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente instituído pelo Poder Público, com objetivos de conservação e limites definidos, sob refime especial da administração, ao qual se aplicam garantias adequadas de proteção”. 

“O principal objetivo é a preservação e o uso sustentável desses espaços, de forma que a população consiga usufruir, sejam utilizados para a educação ambiental e para o lazer, conservando as características naturais, como a fauna e a flora”, destaca a secretária municipal de Meio Ambiente, Angela Meira. O Bosque Guarani, por exemplo, possui uma área de 4,5 hectares remanescentes da Mata Atlântica.

Para Jorge Pegoraro, diretor de Licenciamento e Controle Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente, “o debate sobre esse tema é de fundamental importância, pois a cidade possui um dos mais visitados Parques Nacionais do Brasil, o Iguaçu, porém ainda não possui um Parque Natural Municipal, que após sua criação irá proporcionar a comunidade local inúmeros benefícios ambientais”. 

Entre esses benefícios, ele cita “controle da poluição, favorecer a biodiversidade local, facilitar o controle da temperatura e da umidade, sendo que a comunidade também poderá usufruir e contribuir de maneira correta para a conservação desses espaços protegidos”.