18 de julho de 2024

Rússia adverte contra qualquer tentativa de ingerência na Bolívia



A Rússia condenou nesta quinta-feira (27) a tentativa de golpe de Estado na Bolívia e advertiu contra qualquer tentativa de ingerência estrangeira no país sul-americano.

“Alertamos para as tentativas de ingerência estrangeira destrutiva nos assuntos internos da Bolívia”, disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo em comunicado.

Soldados liderados pelo chefe das Forças Armadas bolivianas, general Juan José Zuniga, e veículos blindados concentraram-se ontem em frente ao palácio presidencial em La Paz, retirando-se algumas horas mais tarde.

O general Zuniga foi detido pela polícia sob a acusação de terrorismo e de revolta armada.

“Condenamos firmemente a tentativa de golpe militar”, afirmou a diplomacia russa, citada pela agência francesa AFP.

O ministério liderado por Serguei Lavrov manifestou o “apoio total e inabalável” da Rússia ao presidente boliviano, Luis Arce, e defendeu a resolução política dos desacordos internos para garantir a estabilidade na Bolívia.

“Somos solidários à Bolívia, nosso parceiro estratégico confiável”, acrescentou.

O porta-voz do Kremlin (presidência russa), Dmitri Peskov, disse que Moscou espera que a Bolívia “regresse à calma o mais rapidamente possível” e também advertiu contra qualquer interferência estrangeira.

“É muito importante que não haja interferência de terceiros países”, afirmou Peskov durante briefing diário.

No início de junho, Luis Arce, líder de esquerda, encontrou-se com o presidente russo, Vladimir Putin, durante o fórum econômico de São Petersburgo, na primeira viagem à Rússia desde que foi eleito em 2020.

Foi também uma rara visita de um chefe de Estado à Rússia desde o início da guerra contra a Ucrânia em fevereiro de 2022.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.