12 de abril de 2024

Reconstrução de ponte que desabou em Baltimore não será rápida



Autoridades norte-americanas reconheceram que a reconstrução da ponte de Baltimore, que desabou na madrugada de terça-feira (26) após o choque de um navio cargueiro, “não será rápida, fácil ou barata”. O governo apontou como prioridade a reabertura do tráfego fluvial.

“Ainda não conhecemos totalmente o estado das partes da ponte que ainda estão de pé ou que têm infraestrutura sob a superfície da água. A reconstrução não será rápida, fácil ou barata, mas lá chegaremos”, disse o secretário dos Transportes, Pete Buttigieg, em entrevista citada pela agência de notícias Efe.

Na Casa Branca, em reunião com o presidente norte-americano, Joe Biden, Buttigieg estava acompanhado pelo vice-almirante Peter Gautier, vice-comandante de Operações da Guarda Costeira dos Estados Unidos (EUA).

Segundo Buttigieg, Biden deixou claro que “toda a administração dará apoio, em todos os aspectos, ao processo de recuperação e reconstrução”.

O Departamento dos Transportes informou que tem quatro prioridades: reabrir o porto, lidar com as perturbações da cadeia de abastecimento, reconstruir a ponte e lidar com as implicações do acidente para os transportes terrestres.

A Guarda Costeira e o Corpo de Engenheiros do Exército vão coordenar uma resposta para desobstruir o canal e reabrir o porto para que possa voltar a funcionar plenamente.

“Estamos preocupados com o impacto econômico local, com cerca de 8 mil postos de trabalho diretos associados às atividades portuárias e com as implicações que se estenderão além da região”, afirmou.

O navio cargueiro Dali bateu em um pilar da ponte Francis Scott Key, que desabou, juntamente com vários veículos.

Depois de procurar sobreviventes nas águas, a Guarda Costeira dos EUA informou que levando em conta a hora e a temperatura, considerava que os seis desaparecidos estavam mortos.

O bloqueio do Porto de Baltimore, o nono maior dos EUA, deverá ter graves consequências econômicas para a região.

Tanto a polícia local quanto o secretário de Segurança Interna dos Estados Unidos, Alejandro Mayorkas, afirmaram não haver indícios de que tenha se tratado de um ato terrorista, mas o FBI (a Polícia Federal norte-americana) já se juntou às investigações.

A ponte Francis Scott Key (batizada em homenagem ao autor da letra do hino norte-americano) era a maior da cidade do estado de Maryland, com 2.632 metros de comprimento, e suportava a passagem de mais de 11 milhões de veículos por ano.

Imortalizada na série norte-americana The Wire, começou a ser construída sobre o Rio Patapsco em 1972 e foi inaugurada em 23 de março de 1977.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.