21 de fevereiro de 2024

PF deflagra Operação Pó de Ferro

Polícia Federal lança a Operação Pó de Ferro

A Polícia Federal deflagrou, na data de hoje (07/12/2023), a Operação Pó de Ferro, para desarticular 2 (dois) grupos criminosos especializados no tráfico internacional de drogas e no tráfico internacional de armas.

Cerca de 108 (cento e oito) policiais federais cumpriram 35 (trinta e cinco) mandados de busca e apreensão e 13 (treze) mandados de prisão preventiva nas cidades de Foz do Iguaçu/PR, Cascavel/PR, Descalvado/SP, Porto Ferreira/SP, Alfenas/MG, Santo Ângelo/PR e Vitória das Missões/RS.
A investigação foi iniciada a partir de apreensões de cargas de entorpecentes e de prisões em flagrante realizadas. As drogas, principalmente maconha, mas também crack e cocaína, eram internalizadas a partir do Paraguai, tendo sido apreendidas 20 toneladas de maconha e 200 kg de crack no decorrer das investigações.

Um dos grupos investigados, estabelecido em Foz do Iguaçu/PR, destinava a maior parte das drogas aos estados de São Paulo e Minas Gerais, além de unidades da federação da região Nordeste.
O outro grupo foco das investigações, sediado em Foz do Iguaçu/PR, Cascavel/PR e Santo Ângelo/RS, destinava as drogas ao estado do Rio Grande do Sul, notadamente para a região metropolitana de Porto Alegre/RS.

Durante a investigação, verificou-se que os grupos criminosos estariam relacionados com, ao menos, 17 (dezessete) ocorrências de tráfico internacional de drogas internalizadas clandestinamente a partir do Paraguai.
Em parte dessas ocorrências, foram presos 15 (quinze) indivíduos em flagrante delito e apreendidas cerca de 20 (vinte) toneladas de maconha além de 200 kg crack, 6 (seis) veículos de passeio e 10 (dez) caminhões utilizados para transporte dos entorpecentes, sendo a maior parte deles produto de crimes de furto ou roubo e com adulterações de chassis e de placas (veículos “clonados”).

Um dos grupos controlava 4 (quatro) empresas com notável atuação comercial e industrial em Foz do Iguaçu/PR, havendo indícios de que eram utilizadas para a prática de lavagem de dinheiro, bem como para a movimentação de valores recebidos pelas drogas traficadas.
Além da prisão dos principais investigados, foram sequestrados dinheiro, veículos e imóveis dos investigados e de empresas em nome deles, bens esses supostamente obtidos em razão das práticas criminosas ou mesmo utilizados para tráfico de drogas.

O nome da operação faz referência ao tráfico de cocaína e ao ramo de atuação das empresas dos investigados.

Comunicação Social da Polícia Federal em Foz do Iguaçu/PR