18 de junho de 2024

Netanyahu diz que ação de promotor do TPI é absurda



O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira (20) que a decisão do promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI) de solicitar mandados de prisão contra ele e seu ministro da Defesa é absurda e que a medida tem o objetivo de atingir todo o país.

“Rejeito com repulsa a comparação feita pelo promotor em Haia entre Israel democrático e os assassinos em massa do Hamas”, disse Netanyahu.

“Com que audácia você compara o Hamas, que assassinou, queimou, esquartejou, decapitou, estuprou e sequestrou nossos irmãos e irmãs, com os soldados das IDF, que lutam em uma guerra justa como nenhuma outra?”

“Isso é uma distorção completa da realidade.”

O primeiro-ministro referiu-se à ação do promotor do TPI como um novo tipo de antissemitismo.

“Cidadãos de Israel, eu lhes prometo uma coisa: a tentativa de amarrar nossas mãos falhará”, disse.

“Como primeiro-ministro de Israel, prometo que nenhuma pressão e nenhuma decisão em qualquer fórum internacional nos impedirá de atacar aqueles que procuram nos destruir.”

* É proibida a reprodução deste conteúdo