22 de maio de 2024

“Não estão falando sério”, diz Hamas sobre proposta de cessar-fogo



As negociações para um cessar-fogo de 40 dias na Faixa de Gaza continuam em impasse. O Reino Unido revelou que o acordo ainda está em cima da mesa. Em declarações à Al Jazeera, um porta-voz do Hamas acusou a proposta de Israel de não ser séria e disse que a Faixa de Gaza vai continuar a ser atacada no futuro. No entanto, a expectativa é de um andamento positivo nas conversações.

David Cameron, ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, anunciou no início da tarde desta segunda-feira (29) que havia sido apresentada uma proposta de acordo ao Hamas e que esperava a decisão da entidade palestina.

“Uma proposta de cessar-fogo de 40 dias e libertação de milhares de prisioneiros palestinos em troca da libertação dos reféns israelenses foi apresentada ao Hamas”, declarou David Cameron na capital saudita, no Fórum Econômico Mundial.

“Espero que o Hamas aceite o acordo apresentado nesta segunda-feira no Egito e, francamente, toda a pressão e olhares do mundo deverão estar sobre eles esperando que aceite o acordo”, continuou o ministro britânico, revelando que o “sim” do Hamas levará ao fim dos combates.

Para além do acordo, David Cameron disse que, no futuro, deverá ser pensada uma solução de dois Estados e que os responsáveis pelo ataque do dia 7 de outubro deverão sair de Gaza para que toda a rede terrorista no território seja desmantelada, permitindo que Palestina e Israel convivam em paz.

“O povo palestino deve ter um futuro político mas a segurança de Israel também deve ser garantida, e estes dois elementos devem ocorrer simultaneamente”.

Já Antony Blinken declarou aos jornalistas que a proposta israelense é “muito generosa” e que a recusa do Hamas vai prolongar a ofensiva israelense por tempo indeterminado. Hamas tem “questões sérias” em relação ao acordo

Resposta do Hamas

Depois que o novo acordo foi proposto, um porta-voz do Hamas fez declarações à emissora Al Jazeera explicando que tem sérias questões sobre o acordo proposto por Israel. Osama Hamdan disse ao veículo de comunicação que quer a retirada de tropas da Faixa de Gaza e afirmou que Israel não está conduzindo o processo de forma séria.

“É claro que da parte israelense ainda há uma insistência sobre dois assuntos chave: não querem um cessar-fogo completo e ainda não estão tratando, de forma séria, a retirada de tropas da Faixa de Gaza. Na realidade, ainda estão tratando da presença das tropas, o que significa que vão continuar a ocupar Gaza”, disse Hamdan.

“Temos sérias questões para os mediadores. Se existirem respostas positivas, penso que podemos seguir em frente”, avaliou o porta-voz.

Sobre as declarações de Blinken, de que o acordo é “extremamente generoso”, Osama Hamdan afirmou que o que está acontecendo na Faixa de Gaza é claramente um crime cometido por parte de Israel.

“Parar os ataques contra palestinos não é generoso. Os ataques em si constituem um crime, por isso quando se interrompe um crime, não é possível declarar que tal ato é generoso por parte de Israel”, concluiu Hamdan.