29 de fevereiro de 2024

Motociclistas são as principais vítimas de acidentes de trânsito

Lançada nesta quarta-feira (03), campanha do Maio Amarelo propõe a mudança de comportamento no trânsito para uma vida mais segura

Motociclistas são as principais vítimas de acidentes de trânsito

Embora o maior número de acidentes de trânsito em Foz do Iguaçu envolva os motoristas de automóveis, as principais vítimas de acidentes são motociclistas, especialmente homens na faixa etária dos 18 aos 40 anos. Em 2022, o Hospital Municipal Padre Germano Lauck atendeu 1.103 vítimas de acidentes de trânsito, sendo 592 motociclistas, o que corresponde a 53,6%.

No Brasil, de acordo com dados do Observatório Nacional de Segurança Viária, mais de 60% dos atendimentos em acidentes de trânsito envolvem motociclistas, que chegam a ficar hospitalizados por até seis meses.

Estes foram alguns números apresentados nesta quarta-feira (03) pela coordenação do Programa Vida no Trânsito (PVT) e Instituto de Transportes e Trânsito de Foz do Iguaçu (Foztrans) durante o lançamento do Maio Amarelo, no SEST/SENAT.

A campanha deste ano propõe uma mudança de comportamento no trânsito com atitudes simples e escolhas que garantam a segurança e a proteção de todos.

“Em Foz do Iguaçu, reduzimos em 62% o número de acidentes de trânsito com vítimas fatais nos últimos dez anos (2011 a 2020). A nível Brasil a redução foi 32%. Percebemos, no entanto, um aumento nos acidentes envolvendo motociclistas, o que tem nos preocupado muito”, afirma o coordenador de trânsito da Guarda Municipal e coordenador do PVT, Gerson Rodrigues Vieira.

Segundo ele, os principais fatores de risco para os acidentes são a desatenção, o excesso de velocidade e o desrespeito a sinalização. “Temos em Foz mais de 40 mil motos registradas. Muitas pessoas abandonaram o transporte coletivo e utilizam a moto para trabalhar, e são essas pessoas que se envolvem em acidentes, por falta de habilidade na condução e principalmente, por conta do uso do celular”, alertou.

Internações 

Em 2020, apesar da pandemia, o Brasil teve mais de 190 mil internações decorrentes de acidentes de trânsito, e destas, mais de 60% envolveram motociclistas. Das 32 mil mortes registradas, 36% foram de motociclistas.

“O trânsito é um problema de todos, mas que afeta principalmente a saúde. Um acidentado fica em média seis dias na UTI e pode ocupar um leito de enfermaria por ate seis meses. O hospital deixa de fazer uma cirurgia eletiva para atender as vitimas de acidentes de trânsito. Precisamos redobrar os cuidados e evitar acidentes”, reforçou o coordenador de trânsito.

Medidas

O diretor superintendente do Foztras, Robson Lima de Souza anunciou que o município implantará as faixas de retenção e recuo exclusivo para motociclistas em vias públicas de fluxo intenso de veículos. O projeto, proposto pela Câmara de Vereadores, pretende oferecer mais segurança aos motociclistas e reduzir acidentes.

“Já assinamos a ordem de serviço e estamos aguardando o início da execução dos trabalhos. Além disso, durante todo o mês de maio teremos atenção especial aos motociclistas, com ações educativas em toda a cidade”, disse.

O Maio Amarelo é uma ação do Gabinete de Gestão Integrada de Foz do Iguaçu (GGIM) através da Câmara Técnica de Trânsito, Programa Vida no Trânsito (PVT) e instituições parceiras.

 

Foto: Thiago Dutra/PMFI