18 de julho de 2024

Moscou nega ataque que atingiu hospital pediátrico de Kiev



O Ministério da Defesa russo negou hoje (8) um ataque a Kiev, declarando que os danos registrados esta manhã foram provocados pela “queda de um míssil antiaéreo ucraniano” que atingiu instalações militares.

“Numerosas fotografias e imagens de vídeo publicadas em Kiev confirmam inequivocamente a destruição causada pela queda de um míssil de defesa aérea ucraniano, lançado de um sistema de mísseis antiaéreos na cidade”, afirmou o Ministério da Defesa da Rússia em comunicado.

No documento, o ministério considera falsas as declarações ucranianas sobre um ataque de Moscou que teria atingido diretamente um hospital civil em Kiev, sem fornecer de imediato as “fotografias e imagens de vídeo citadas para sustentar as acusações”.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que várias pessoas estão retidas nos escombros de um hospital infantil em Kiev, atingido por um ataque russo.

“Um dos maiores hospitais infantis da Europa” foi atingido, “há pessoas debaixo dos escombros e o número exato de vítimas é atualmente desconhecido”, afirmou Zelensky nas redes sociais, publicando um vídeo do edifício muito danificado.

“A Rússia não pode alegar que não sabe onde caem os mísseis e deve ser responsabilizada totalmente por todos os crimes”, acrescentou Zelensky.

Pelo menos 20 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas hoje, após ataques russos a várias cidades ucranianas, que ativaram as defesas antiaéreas do país, segundo as autoridades locais.

As forças russas dispararam “mais de 40 mísseis” contra várias cidades da Ucrânia, incluindo a capital Kiev, disse o presidente ucraniano. 

*É proibida a reprodução deste conteúdo.