21 de fevereiro de 2024

Foz do Iguaçu terá Casa da Mulher Latino-Americana

Declaração de interesse para implantação da estrutura foi assinada durante o 1º Encontro de Integração de Mulheres Latino-Americanas, nesta terça-feira (25)

Foz do Iguaçu terá Casa da Mulher Latino-Americana

Foz do Iguaçu será a primeira cidade do interior do Paraná a receber uma Casa da Mulher Brasileira, um espaço com serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra a mulher. Pelas características do município – que faz fronteira com o Paraguai e a Argentina e tem mais de 80 etnias diferentes entre sua população -, deverá ser a Casa da Mulher Latino-Americana, conforme anunciou a primeira-dama do país, Janja Lula da Silva.

A declaração de interesse para implantação da estrutura foi assinada durante o 1º Encontro de Integração de Mulheres Latino-Americanas, que aconteceu em Foz na noite desta terça-feira (25). O acordo foi formalizado pela primeira-dama do município e secretária municipal de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade, Rosa Maria Jeronymo; a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves; o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Enio Verri, e a secretária estadual da Mulher e Igualdade Racial, Leandre dal Ponte.

“Essa é uma noite de extrema importância para a nossa cidade, por todas as especificidades que possuímos na condição de fronteira e de destino turístico. Somos uma população com mais de 80 etnias e diariamente diversas pessoas de todo o mundo circulam por aqui”, afirmou a secretária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade de Foz, Rosa Maria Jeronymo.

“Foz será a primeira cidade do interior do Paraná a receber a Casa da Mulher, o que será extremamente importante para que possamos acolher as mulheres da fronteira que são vítimas de algum tipo de violência. Vamos fortalecer nossas políticas públicas, nessa parceria com a Itaipu e o Governo Federal, para que possamos dar dignidade a todas as mulheres”, complementou Rosa.

A primeira-dama do Brasil, Janja Lula da Silva, lembrou que na data – 25 de julho – é celebrado o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. “A proposta é que essa casa seja a Casa da Mulher Latino-Americana, que atenda as mulheres aqui da região. A gente quer levar essa proposta para mais cidades de fronteira com os países da América Latina, para que as mulheres que circulam nesses locais tenham o atendimento que elas precisam”, afirmou Janja.

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, lembrou que em março deste ano foram anunciadas 40 novas Casas das Mulheres em todo o país, que se somarão às 7 já existentes. “Com a de Foz do Iguaçu, serão 41, que serão implementadas a partir deste ano. Ano que vem queremos mais, queremos Casa da Mulher Brasileira neste país inteirinho”, pontuou.

A construção da Casa da Mulher Brasileira – Latino-Americana, no caso de Foz – será viabilizada a partir de recursos da Itaipu Binacional, que também irá contribuir com o término da obra da Delegacia da Mulher. O diretor-geral brasileiro da usina, Enio Verri, disse que essas obras são “uma demonstração do compromisso da Itaipu com a responsabilidade social que ela tem com a sociedade, por entendermos que uma empresa pública tem a obrigação de construir uma sociedade justa. E não existe justiça com a diferença de gênero que existe em nosso país hoje”.

Sobre a Casa da Mulher

A Casa da Mulher Brasileira é um espaço com serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres. Entre os atendimentos estão acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia, Juizado, Ministério Público, Defensoria Pública, alojamento de passagem, entre outros.