25 de fevereiro de 2024

Foz do Iguaçu terá 50 novos leitos para o atendimento de pacientes com quadros graves de dengue

A pedido do prefeito Chico Brasileiro, a cidade recebe o auxílio do Governo do Estado, que aporta recursos para oferecer, por 90 dias, espaços para internamento dos casos mais severos no Hospital Cataratas

Foz do Iguaçu terá 50 novos leitos para o atendimento de pacientes com quadros graves de dengue

Para auxiliar no tratamento aos casos graves de dengue em Foz do Iguaçu e reduzir a pressão no sistema municipal de saúde, a Prefeitura de Foz do Iguaçu firmou uma parceria com o Governo do Estado do Paraná para a criação de 50 novos leitos no Hospital Cataratas. O anúncio foi feito terça-feira (28) pelo secretário estadual de Saúde do Paraná, César Neves, e o prefeito Chico Brasileiro.

O custo total do investimento vai ultrapassar o valor de R$ 1 milhão para 90 dias de atendimento emergencial. O contrato entre Governo do Estado do Paraná e Hospital Cataratas está em processo de finalização para que os atendimentos comecem na próxima semana. O apoio é resultado de um encontro entre o prefeito Chico Brasileiro e o secretário estadual de Saúde na última semana, quando foi solicitado o reforço à cidade por sua condição diferenciada.

De acordo com Neves, a epidemia da doença segue preocupante em diversas regiões do Estado, contudo, Foz do Iguaçu demandou uma atenção especial por conta dos altos índices de infestação de Chikungunya no Paraguai.

“O prefeito Chico Brasileiro nos chamou e prontamente atendemos ao pedido para que juntássemos esforços em uma missão que irá salvar vidas. Em 2019 passamos por uma epidemia em todo o estado, porém, este novo quadro nos deixa com o sinal de alerta ligado para que a febre chikungunya não avance”, disse.

Benefício para o município

O prefeito Chico Brasileiro celebrou a parceira com o Governo do Paraná e destacou o importante papel dos leitos para desafogar a fila de atendimentos realizados no Hospital Municipal e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

“Temos um comitê de crise para esse enfrentamento tão urgente no município. Os iguaçuenses podem ter a certeza de que vamos continuar buscando formas de eliminar essa doença que se mostra cada vez mais grave. Estamos dando um passo muito importante para atingirmos a essa meta”, pontuou.

Brasileiro frisou ainda que o apoio dos moradores será essencial para compor as medidas emergências que estão sendo adotadas. “Há 15 dias realizamos um mutirão de limpeza na região Sul, que apresentava um crescimento exponencial dos casos. Hoje, a situação já está apresentando melhoras, ou seja, o trabalho conjunto funciona e por isso deve ser continuado. Mesmo que a sua região não seja a mais afetada, faça a limpeza do terreno, denuncie irregularidades e seja nosso aliado”, pediu.

Novas medidas de combate

Segundo Fernando Schunig, coordenador estadual da Defesa Civil, outras medidas para a cidade serão realizadas em parceria com o Exército Brasileiro. O objetivo é organizar uma mobilização em diversos pontos da cidade para a eliminação e remoção mecânica dos focos.

“Estamos em contato com os batalhões para que as tropas nos auxiliem em um mutirão amplo. Queremos nos aliar ao trabalho já exercido pela Defesa Civil e Prefeitura de Foz, que está atuando muito bem para proteger a cidade. Toda ajuda é importante e estamos aqui para ajudar”, destacou.

Sobre a utilização do fumacê, César Neves explica que a compra do veneno Cielo, utilizado para a sanitização, é feita pelo Ministério da Saúde e enviado ao Governo do Estado. O Paraná recebeu mil litros do inseticida e Foz do Iguaçu deverá receber parte do montante.

“Consideramos uma ação emergencial e pleiteamos o envio de novas remessas para o Estado. A situação da epidemia está grave em todo o Brasil, com inseticidas até mesmo em falta. Mesmo assim seguimos pleiteando para que seja possível distribuí-los às cidades”, finalizou o secretário.