25 de fevereiro de 2024

Foz do Iguaçu é projeto-piloto da campanha de vacinação no Mercosul

Foz do Iguaçu é projeto-piloto da campanha de vacinação no Mercosul

O prefeito Chico Brasileiro e o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, participaram neste sábado, 7, na Ponte da Amizade, do lançamento da campanha de vacinação conjunta do Mercosul e apontaram a ação como  mais uma etapa para consolidar a integração entre os países do bloco na área de saúde. “A fronteira de Foz do Iguaçu com Ciudad del Este é a mais movimentada da América do Sul, milhares de pessoas cruzam a Ponte da Amizade todos os dias, a vacinação é mais um exemplo de boa integração e que também chama a atenção da importância da vacina na prevenção de doenças”, disse Chico Brasileiro.

Além do posto instalado no lado brasileiro da Ponte da Amizade, as 29 unidades básicas de saúde do município cidade integram a campanha do Ministério da Saúde, Organização Panamericana de Saúde (Opas), Secretaria Estadual de Saúde e prefeitura de Foz do Iguaçu, com apoio da Itaipu Binacional. “A vacina é proteção individual e coletiva e esse posto na Ponte da Amizade vai difundir a vacinação não só para o Brasil, mas sim para os países da América do Sul”, completou o prefeito.

O ato oficial marcou a abertura do dia ‘D’ da mobilização neste sábado (07), com abertura das unidades básicas de saúde, das 9h às 15h e com o posto de vacinação na aduana.

A campanha é realizada nas cidades dos países vizinhos desde o dia 02 de outubro e segue até a próxima quarta-feira, 11, com a oferta de vacinas do calendário básico, com ênfase na tríplice viral, poliomielite e febre amarela. Na terça-feira e quarta-feira (dias 10 e 11), um posto será instalado no porto seco para imunização de caminhoneiros.

Integração de fato

“Na fronteira de Foz do Iguaçu, temos uma integração de fato do Mercosul, em que circulam brasileiros, paraguaios, argentinos e pessoas de outras nacionalidades. Essa ação em parceria com o Ministério da Saúde é também um exemplo das medidas conjuntas que podemos tomar com políticas de saúde pública como o combate às arboviroses”, disse Chico Brasileiro.

A ação em Foz do Iguaçu integra o projeto “Promovendo Fronteiras Saudáveis e Seguras no Mercosul” que busca o fortalecimento da integração fronteiriça na área da saúde. O projeto inclui a vacinação conjunta nas áreas de fronteira, a elaboração de um plano de contingência para a tríplice fronteira Argentina-Brasil-Paraguai, bem como levantamento das capacidades de urgência e emergência em áreas fronteiriças. Os municípios na divisa entre Brasil e Uruguai  também participaram desta primeira mobilização.

Combate às epidemias

“É uma iniciativa fundamental do Ministério da Saúde integrar as fronteiras, tratar de temas como as doenças imunopreveníveis e levar esse debate para os grupos de gestores da saúde de todos os países do Mercosul”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

O secretário disse que o Paraná acabou de passar pela epidemia de dengue e chikungunya, o que acontece também no lado paraguaio da fronteira. “Se tivermos ações conjuntas, tenho certeza que vamos avançar muito mais no controle de doenças na região”.

“Este é o sentimento da importância da internacionalidade deste processo. Estamos falando da fronteiras, de várias populações e de vários povos. Chamar a atenção para isso é uma iniciativa vencedora. Agradeço não só a participação do Ministério da Saúde como da Opas (Organização Panamericana de Saúde) e da Itaipu Binacional, por esse trabalho de mobilização nesta campanha de vacinação”, completou.