22 de maio de 2024

EUA iniciam construção de píer em Gaza para entrega de ajuda



Tropas norte-americanas começaram a construção de um píer marítimo na costa de Gaza, com o objetivo de acelerar o fluxo de ajuda humanitária para o enclave quando estiver operacional, em maio, informou o Pentágono nesta quinta-feira.

O presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou a construção do píer em março, quando autoridades de ajuda humanitária imploravam a Israel que facilitasse o acesso de suprimentos de ajuda humanitária a Gaza por meio de rotas terrestres.

Não está claro se o píer conseguirá ampliar a ajuda humanitária. Autoridades internacionais alertam para o risco de fome no norte de Gaza.

A campanha militar de seis meses de Israel contra o Hamas devastou a pequena Faixa de Gaza e mergulhou seus 2,3 milhões de habitantes em uma catástrofe humanitária.

Sob condição de anonimato, uma autoridade sênior do governo Biden disse a jornalistas que a ajuda humanitária que chegar pelo píer precisará passar pelos postos de controle israelenses em terra. Isso deve ocorrer, apesar de a ajuda já ter sido inspecionada por Israel em Chipre antes de ser enviada para Gaza. Israel quer evitar que qualquer ajuda chegue aos combatentes do Hamas.

A perspectiva de postos de controle levanta questões sobre possíveis atrasos mesmo após a ajuda chegar à costa. As Nações Unidas há muito se queixam dos obstáculos para receber e distribuir o auxílio em Gaza.

“Posso confirmar que as embarcações militares dos EUA, incluindo o USNS Benavidez, começaram a construir os estágios iniciais do píer temporário e de uma passarela no mar”, disse o porta-voz do Pentágono, Major General Patrick Ryder.

As preocupações com o risco de as tropas americanas serem envolvidas na guerra entre Israel e Hamas ganharam força nesta quinta-feira, quando surgiram notícias de um ataque de morteiro perto da área onde o píer acabará tocando o solo. Nenhuma força dos EUA estava presente, e Biden ordenou que as forças dos EUA não pisassem na costa de Gaza.

Inicialmente, o píer movimentará 90 caminhões por dia, mas esse número poderá aumentar para 150 caminhões diários quando estiver totalmente operacional. As Nações Unidas disseram nesta semana que o número médio diário de caminhões que entraram em Gaza em abril foi de 200 e que houve um pico de 316 na segunda-feira.

A autoridade acrescentou que cerca de 1.000 soldados americanos devem apoiar o esforço militar, inclusive em células de coordenação em Chipre e Israel.

Uma terceira parte conduzirá caminhões pelo píer até a praia, acrescentou a autoridade.

O norte da Faixa de Gaza ainda tem a fome à espreita, disse o vice-chefe de alimentos da ONU nesta quinta-feira, apelando por um maior volume de ajuda e para que Israel permita o acesso direto do porto de Ashdod, no sul do país, à passagem de Erez.

Em um comunicado, o Exército israelense disse que forneceria segurança e apoio logístico para o cais.

Uma brigada militar israelense, que inclui milhares de soldados, juntamente com navios da Marinha e da Força Aérea de Israel, deve proteger as tropas americanas que montam o píer.

(Reportagem de Idrees Ali e Phil Stewart em Washington; reportagem adicional de Dan Williams em Jerusalém)

* É proibida a reprodução deste conteúdo