23 de julho de 2024

Democratas descartam substituir Biden na corrida presidencial nos EUA



Líderes democratas descartaram neste domingo (30) a possibilidade de substituir o presidente norte-americano, Joe Biden, como candidato democrata após um fraco desempenho no debate e pediram aos membros do partido que se concentrassem nas consequências de uma segunda presidência de Donald Trump.

Depois de dias de preocupação com Biden e com o resultado da eleição de 5 de novembro, os líderes democratas rejeitaram firmemente os apelos para que seu partido escolhesse um candidato presidencial mais jovem. Biden, 81 anos, estava reunido com membros da família no retiro presidencial de Camp David, com seu futuro político sendo um provável tópico de discussão.

Mas os apelos para que Biden se afaste continuaram, e uma pesquisa da CBS após o debate mostrou um salto de 10 pontos no número de democratas que acreditam que Biden não deveria concorrer à Presidência, passando de 36% em fevereiro para 46%.

“A infeliz verdade é que Biden deveria se retirar da disputa, para o bem da nação à qual ele serviu tão admiravelmente por meio século”, disse o Atlanta Journal-Constitution em um editorial no domingo. “A sombra da aposentadoria agora é necessária para o presidente Biden.”

“Absolutamente não”, respondeu o senador democrata da Geórgia Raphael Warnock, um dos vários democratas vistos como um possível substituto de Biden.

“Debates ruins acontecem”, disse ele ao programa Meet the Press, da NBC. “A pergunta é: ‘Por quem Donald Trump já se mostrou, além dele mesmo e de pessoas como ele? Estou com Joe Biden, e nossa tarefa é garantir que ele ultrapasse a linha de chegada em novembro.”

O líder democrata da Câmara dos Deputados, Hakeem Jeffries, que poderá se tornar presidente da Câmara no próximo ano se seu partido conseguir assumir o controle da Casa em novembro, reconheceu que Biden sofreu um revés em seu debate com o ex-presidente Trump, o candidato republicano.

“Acredito que um revés nada mais é do que uma preparação para um retorno”, disse ele à MSNBC. “Portanto, o momento em que estamos agora é um momento de retorno, e isso exigirá que todos nós nos inclinemos, articulemos uma mensagem voltada para o futuro sobre por que a plataforma democrata está mais bem equipada para lidar com os desafios que o povo americano enfrenta.”

Outro importante democrata da Câmara, o deputado James Clyburn, concordou. “Ele [Biden] deve permanecer na disputa. Ele deve demonstrar, daqui para frente, sua capacidade de liderar o país”, disse ele à CNN.

Durante o debate, Biden, que soava rouco, apresentou uma performance trêmula e hesitante, na qual tropeçou em suas palavras em várias ocasiões. Alguns democratas disseram mais tarde, em particular, que essa apresentação poderia ser um fator de desqualificação.

(Reportagem de David Morgan, Jarret Renshaw, Eric Beech, Tyler Clifford e Ted Hesson)

É proibida a reprodução deste conteúdo