22 de junho de 2024

Defesa Civil alerta para frio intenso e geadas no Paraná

dog wearing crochet scarf with fringe while sitting on snow selective focus photography

Photo by Benjamin Lehman on Pexels.com

dog wearing crochet scarf with fringe while sitting on snow selective focus photography
Photo by Benjamin Lehman on Pexels.com

A Defesa Civil Nacional fez um alerta, nesta quinta-feira (9), para o frio intenso que deve atingir toda a Região Sul do Brasil a partir do fim de semana.

No Paraná, geadas e temperaturas negativas são esperadas no sábado (11).

Segundo o Instituto Meteorológico Simepar, os termômetros podem chegar a 1°C em Curitiba no domingo (12) e segunda-feira (13).

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chegada de uma massa de ar de origem polar vai derrubar as temperaturas na região.

“No domingo (12), há chance de geada no oeste, norte e serras do Rio Grande do Sul, sul do Paraná e em praticamente todo o estado de Santa Catarina, com exceção do litoral. Geadas de menor intensidade ainda vão afetar o centro-norte do Paraná e o sul de São Paulo e do Mato Grosso do Sul”, diz o informe.

Recomendações

Diante das previsões, a Defesa Civil Nacional recomenda que as defesas civis estaduais e municipais adotem as ações de preparação cabíveis e reforcem a divulgação de informações para alertar a população, visando a adoção de medidas de autoproteção.

O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) seguirá, durante todo o período crítico, trabalhando em escala de plantão para acompanhar as ações de enfrentamento ao frio intenso e comunicar o registro de qualquer ocorrência significativa.

Cuidados especiais

O período exige uma atenção especial com a população mais vulnerável, como enfermos, moradores de rua, idosos e crianças. É essencial manter-se bem agasalhado, beber bastante água, evitar locais fechados e de grande circulação de pessoas e fazer a higiene frequente das mãos.

Essas medidas são de grande importância na prevenção de gripe, resfriados, pneumonia e demais doenças respiratórias. É preciso manter ainda mais cuidado com crianças e idosos, que são mais suscetíveis às doenças agravadas pelo frio. Nas noites com temperaturas mais baixas, recomenda-se, também, abrigar animais domésticos.

“Precisamos que todos se mobilizem, as defesas civis municipais, em parceria com os demais órgãos do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec), para que possamos mitigar os riscos e atender as populações mais vulneráveis”, observa o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas.