29 de fevereiro de 2024

Complexo Terapêutico Infantojuvenil vai integrar a Rede de Saúde Mental do Município

Serviço vai ofertar acolhimento, práticas integrativas e complementares de saúde às crianças e adolescentes em situação de dependência química e com medidas protetivas

Complexo Terapêutico Infantojuvenil vai integrar a Rede de Saúde Mental do Município

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, através da Secretaria Municipal da Saúde e a Associação Fraternidade Aliança (AFA) inauguram, na próxima quarta-feira (26), às 9 horas, o Complexo Terapêutico Infantojuvenil Arturo Paoli, na Rua Malva Rosa, 145, no Conjunto Habitacional Bubas.

O novo espaço, que vai integrar a Rede de Saúde Mental do município, ofertará acolhimento, práticas integrativas e complementares de saúde, atividades artísticas, culturais e recreativas às crianças e adolescentes de 10 a 18 anos em situação de dependência química ou que estejam em medida protetiva (vivendo em casas lares ou em famílias acolhedoras).

A construção do complexo, orçada em R$ 5 milhões, recebeu investimentos da Prefeitura de Foz do Iguaçu e emendas da Câmara de Vereadores – na ordem de R$ 2,6 milhões, além de recursos provenientes da Justiça Federal, Receita Federal e iniciativas privadas.

De acordo com a gestora de projetos da AFA, Suzane Amorim, a necessidade do complexo terapêutico surgiu a partir das demandas apresentas na Unidade de Acolhimento Infantojuvenil, inaugurada em 2019 e executada em parceria com o município. No local, mais de 70 crianças e adolescentes com dependência química já receberam atendimento.

“Acompanhar o adolescente após o período terapêutico (de seis meses) era uma de nossas demandas. Também vimos que a inserção deles no mercado de trabalho era muito difícil, porque quando eles cessam o uso da droga, vários transtornos e outras questões sociais e emocionais precisam ainda ser trabalhadas de forma diferenciada”, explicou.

Por esta razão, o Complexo Terapêutico também irá desenvolver atividades voltadas à gastronomia, ao artesanato e cultivo de hortaliças, dentro de um convênio com a Itaipu Binacional. “Buscamos formalizar esse convênio para desenvolver um produto e ações voltadas ao trade turístico, onde os adolescentes serão protagonistas. Queremos aliar as terapias à geração de trabalho e renda destes adolescentes”, informou Suzane. “Estamos concluindo uma estufa onde serão cultivadas hortaliças, teremos uma sala para atividades artesanais e um espaço confortável, que proporciona dignidade, reflexão e lazer”, pontuou.

Práticas Integrativas

As práticas integrativas e complementares de saúde serão ofertadas tanto para a criança e o adolescente quanto seus familiares. São terapias que buscam a prevenção de doenças e a recuperação da saúde, com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade.

Entre elas estão a acupuntura, auriculoterapia, constelação familiar, terapias de florais, aromoterapia, entre outras práticas. “Os resultados que temos hoje dentro da unidade de acolhimento são surpreendentes. As práticas integrativas contribuem para a redução da abstinência, da ansiedade, da depressão, melhora na qualidade do sono”, pontuou a gestora.

O Complexo contará, ainda, com um Centro de Formação para qualificação dos profissionais na área da saúde mental. Além disso, o convênio com a Itaipu vai possibilitar a construção de um novo espaço com quadra coberta e academia para atividades esportivas dos adolescentes.