21 de fevereiro de 2024

Com o Plenário lotado, comunidade e autoridades discutem sobre a construção da nova sede da Escola Mun. Prof. Lucia Marlene Pena Nieradka

O debate, proposto pelo vereador Marcio Rosa (PSD), foi realizado nesta quarta, 12 de abril

Com o Plenário lotado, comunidade e autoridades discutem sobre a construção da nova sede da Escola Mun. Prof. Lucia Marlene Pena Nieradka

Assuntos inerentes à construção da nova sede da sede Escola Municipal Professora Lucia Marlene Pena Nieradka foram discutidos nesta quarta-feira (12/04) durante a Audiência Pública proposta pelo parlamentar Marcio Rosa (PSD) através do requerimento n°103/2023.

O tema, considerado de grande importância para professores, pais e moradores da região da Vila Yolanda, lotou o Plenário da Câmara Municipal e trouxe pareceres fundamentais para analisar a construção da nova sede da instituição na região em que se localiza a Praça das Aroeiras, espaço que está a 800 metros da atual estrutura da escola. A Audiência foi aberta pelo presidente da Casa, vereador João Morales (União), e conduzida pelo proponente Marcio Rosa (PSD).

Em uso da tribuna, Maria Justina da Silva, Secretária Municipal da Educação e 1° expositora, trouxe informações sobre o surgimento da escola em 1998, a partir da necessidade de moradores da Vila Yolanda, que careciam de uma instituição próxima à comunidade. Inicialmente utilizando as dependências da Igreja Católica Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a escola opera de forma improvisada embaixo da arquibancada do estádio Pedro Basso há mais de 20 anos, em um espaço restrito e inadequado.

Andrey Bachixta, Diretor de Gestão de Projeto representante da Secretaria de Planejamento e Captação de Recursos, informou pareceres técnicos à construção da nova sede, desde áreas mínimas, raio para atendimento da unidade escolar, como demais apontamentos.

A moradora do Bairro Jardim Social e professora, Alessandra Hoffmann, usou a tribuna para contestar a construção da escola na localização da Praça das Aroeiras, assim como informou o contexto histórico do espaço e impactos ao meio ambiente. “A Educação e o Meio Ambiente precisam andar juntos”, observa a professora, Alessandra.

A escola Prof. Lucia Marlene Pena Nieradka foi representada pela professora e moradora da região, Angela Maria Berlanda: “A escola vai ter uma sede nova e que esteja à altura do nome que leva”. Ela apontou que, ainda que fotos e pareceres técnicos da atual instituição tenham sido apresentados, a realidade ainda é desconhecida por muitos. “Não existe outra escola municipal na Vila Yolanda. Lá atualmente estudam 210 alunos. Estamos falando de crianças que estão sendo privadas de estudar em uma escola com estrutura adequada. Muitos não sabem a real necessidade e urgência da escola”, explica a professora Angela.

Hamilton Serighelli fez o uso da tribuna como expositor para representar o Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu: “Estamos trabalhando em cima disso e em vários locais da cidade a comunidade tem nos procurado. Esta escola não deveria ter sido feita onde foi”.

A partir desta Audiência, que também contou com representantes da APMF da escola, atores da área de turismo e educação, moradores e representantes da comunidade das regiões entorno da Praça da Aroeiras e do colégio agrícola, o Legislativo e Executivo de Foz trabalharão em um projeto que atenda a demanda da população.

Participantes

Participaram da composição da Mesa: Maria Justina da Silva – Secretária Municipal da Educação (representando o chefe do Poder Executivo de Foz do Iguaçu); Luis Cesar Furlan – Secretário Municipal de Obras; Vitor Hugo Nachtygal – Presidente da OAB (subseção de Foz do Iguaçu); Andrey Bachixta Dias – Diretor de Gestão de Projetos (representando a Secretaria Municipal de Planejamento e Captação de Recursos); Daiane Marilene Palma – Diretora da Escola Municipal Professora Lúcia Marlene Pena Nieradka; Rogério João Brekailo – Diretor do Colégio Estadual Manoel Manoel Moreira Pena (Colégio Agrícola); Hamilton Serighelli representante do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu; Angela Maria Berlanda, representante da Comunidade Escolar da Associação de Pais e Mestre e Funcionários da Escola Prof. Lúcia Marlene Pena Nieradka; Alessandra Bortoletto Garbelotti offmann – moradora do Bairro Jardim Social; Amâncio Ivan de Camargo Melo, representante da comunidade aos arredores da Praças das Aroeiras e Jardim Social; Sérgio Leonel Beltrame, representando o Deputado Vermelho; vereadores: Marcio Rosa (PSD) Cabo Cassol (Podemos), Adnan El Sayed (PSD) e o presidente, João Morales (União).

 

Foto: Christian Rizzi – Câmara Foz