12 de abril de 2024

Campanha de vacinação contra gripe começa segunda-feira em São Paulo



Os moradores do estado de São Paulo poderão se vacinar contra a gripe a partir da próxima segunda-feira (25). A campanha de vacinação acontece nos 645 municípios paulistas e segue até o dia 5 de maio. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o objetivo da campanha é ampliar a cobertura vacinal para 18,1 milhões de pessoas de grupos prioritários como crianças até seis anos de idade, gestantes, professores dos ensinos básico e superior, idosos, entre outros (veja lista abaixo).

Com a chegada do outono, há maior prevalência das doenças respiratórias como rinite, sinusite, gripes e resfriados. A diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria de Estado da Saúde, Tatiana Lang D’Agostini, explica que a mudança de estação propicia o aumento de casos e a vacinação pode prevenir esse cenário.

“Esse período acentua as doenças respiratórias agudas, por isso, para evitar a proliferação do vírus, é fundamental adotar as medidas de prevenção e se imunizar”, afirmou a especialista, que também destaca a necessidade de ampliação da imunização. No ano passado, o governo paulista conseguiu imunizar contra a gripe 53% da população.

Mais de 1,7 milhões de doses da vacina contra o vírus influenza foram enviadas a São Paulo pelo Ministério da Saúde. A distribuição para os Grupos de Vigilância Epidemiológica foi feita nos dias 19 e 20 de março.

As dúvidas frequentes sobre a vacinação podem ser resolvidas através do portal Vacina 100 Dúvidas, do governo do estado. A plataforma esclarece questões como efeitos colaterais, eficácia das vacinas, doenças imunopreveníveis e quais os perigos ao não se imunizar.

Confira os grupos prioritários de vacinação:

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade

– Idosos com 60 anos ou mais de idade

– Pessoas em situação de rua

– Gestantes

– Puérperas

– Povos indígenas

– Quilombolas

– Pessoas com deficiência permanente

– Professores do ensino básico e superior

– Profissionais na área de saúde

– Profissionais das forças de segurança e salvamento

– Profissionais das Forças Armadas

– Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais

– Caminhoneiros

– Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário para passageiros urbanos e de longo curso

– Trabalhadores portuários

– População privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e jovens que cumprem medidas socioeducativas