18 de julho de 2024

Assentos vazios na Copa América preocupam EUA, uma das sedes da Copa



À medida que a Copa América entra na fase de mata-mata, a ação dentro de campo tem sido ofuscada pelo baixo comparecimento em várias partidas do torneio realizado nos Estados Unidos, uma preocupação dois anos antes de o país sediar a Copa do Mundo.

Os favoritos ao título do torneio, como Argentina e Brasil, avançaram para as quartas de final jogando em estádios lotados, mas as equipes menos badaladas jogaram em arenas mais vazias.

Com os EUA à caminho de sediar a Copa do Mundo em 2026 com o México e o Canadá, as faixas de assentos vazios não são uma boa aparência, uma vez que os próprios anfitriões não conseguiram encher os estádios para seus jogos da fase de grupos.

Os EUA jogaram contra a Bolívia na abertura de seu grupo no AT&T Stadium, com capacidade para 80.000 pessoas, mas menos de 48.000 torcedores compareceram para assistir à vitória norte-americana por 2 a 0.

Eles também não conseguiram esgotar os ingressos para o segundo jogo, com 59.145 torcedores no Mercedes-Benz Stadium, ante capacidade para 71.000 pessoas, enquanto o Arrowhead Stadium teve muitos assentos vazios quando os EUA perderam para o Uruguai e foram eliminados do torneio.

Os mesmos locais também sediarão jogos da Copa do Mundo de 2026, sendo que a maioria dos jogos da fase final será disputada nos EUA.

Esse é um grande contraste com a Euro em andamento na Alemanha, onde as partidas têm sido disputadas em estádios lotados.

Os jogos da Euro têm tido uma média de 50.000 espectadores por jogo na fase de grupos.

Mas o baixo comparecimento, especialmente nos jogos dos EUA, não pode ser atribuído à falta de interesse, pois o último jogo da fase de grupos contra o Uruguai teve recorde de audiência na televisão, com o maior público a assistir a um jogo de futebol fora da Copa do Mundo.

A Conmebol, que está organizando o torneio, disse que havia vendido um milhão de ingressos até o final da fase de grupos.

Mas a realização de partidas relativamente discretas em grandes arenas de futebol americano, em vez de estádios de futebol, tem resultado em atmosferas silenciosas.

Quando a Venezuela venceu o Equador por 2 a 1 no Levi’s Stadium, na Califórnia, apenas 29.864 torcedores compareceram na arena com capacidade para 68.500 pessoas.

As condições climáticas sufocantes, que levaram um árbitro assistente a desmaiar devido à desidratação em condições quentes e úmidas em Kansas City, não têm ajudado também, enquanto os preços altíssimos dos ingressos têm mantido os torcedores afastados.

A Conmebol, no entanto, acrescentou que está a caminho de vender 1,5 milhão de ingressos ao final do torneio, assim como aconteceu na edição de 2016, que também foi realizada nos EUA.

* É proibida a reprodução deste conteúdo.