22 de junho de 2024

Aliança de Alvaro Dias é questionada na Justiça Eleitoral

Aliança de Alvaro Dias para o Senado é questionada na Justiça Eleitora

O apoio da federação PSDB/Cidadania à candidatura de Alvaro Dias (Podemos) ao Senado pelo Paraná está sendo questionado na Justiça Eleitoral. César Silvestri Filho (PSDB), que havia sido definido para a disputa à vaga por aclamação na convenção estadual, entrou com uma ação anulatória, na tarde desta terça-feira, 9, pedindo que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) anule a decisão da executiva nacional da federação e lhe garanta o direito de disputar como candidato ao Senado.

Conforme o pedido, oito dias após a convenção estadual, a executiva nacional da federação aprovou uma resolução permitindo a dissolvição dos colegiados estaduais “quando as lideranças locais não alcançarem entendimento em relação às candidaturas”. Seis dias depois, outra resolução nacional do PSDB/Cidadania anulou a escolha de Silvestri Filho ao Senado, determinando a coligação com o Podemos para a candidatura de Alvaro Dias.

“A Federação Nacional extrapolou o limite de autonomia partidária e praticou ato ilegal e arbitrário, violando a jurisprudência e as regras aplicáveis ao caso. A considerar válido o movimento da Direção Nacional, não existe mais decisão em convenção regional, mas mera sugestão para a Nacional. É um acinte”, diz trecho da ação.

A costura para o apoio ao senador envolveu a disputa pelo governo de São Paulo, onde o Podemos apoiará a candidatura de Rodrigo Garcia (PSDB). O acordo desagradou integrantes dos partidos da federação no Paraná, tanto que a executiva registrou em ata junto à Justiça Eleitoral, na sexta-feira, 5, o “inconformismo com essa decisão, informando que vai recorrer judicialmente”.

Integrantes dos partidos no Estado disseram que não foram consultados sobre a decisão da executiva nacional. Quando o acordo foi anunciado, César Silvestri FIlho afirmou que a política do Paraná estava servindo de “moeda de troca aos interesses de São Paulo”. O acordo foi importante para Alvaro Dias, que anunciou a disputa à reeleição após fechar com a executiva nacional da federação PSDB/Cidadania, na quinta-feira, 4.

Até o dia da convenção estadual da federação, em 20 de julho, César Silvestri era pré-candidato ao governo do Paraná. A portas fechadas, os membros das cúpulas dos partidos definiram que ele disputaria o Senado, o que desagradou o pré-candidato. Porém, antes da ida dele ao PSDB, em janeiro, o Cidadania havia fechado que apoiaria a reeleição do governador Ratinho Junior (PSD). A sigla compõe a base aliada dele.

Estadão entrou em contato com a assessoria do presidente nacional da federação PSDB/Cidadania, Bruno Araújo, mas não houve retorno até a publicação desta reportagem. Na ação judicial, consta que ele afirmou que César Silvestri foi excluído “para fechar acordos em alguns estados brasileiros para o PSDB não ter o Podemos como adversário”.

Ederson Hising – Estadão